Entrevistas

Entrevista com a equipa de Resistance 3

Na rampa de lançamento de Resistance 3 e no rescaldo da Gamescom na Alemanha, a Sony Portugal organizou um evento do jogo por terras lusas ao qual tivemos a sorte de sermos convidados.

Os entrevistados foram Jon Paquette, argumentista e Cameron Christian, senior designer do modo história e modos competitivo e cooperativo, respectivamente.

ZWAME: O actor que dá voz ao Joseph Capelli é o Robin Atkin Downes?

Jon Paquette & Cameron Christian:

Exactamente. Como é que sabias?

ZWAME: Ele já tinha dado voz ao Shepard no Resistance 2 e ao Grayson no Resistance: Retribution. 

Jon Paquette & Cameron Christian: 

O interessante relativamente a isso é que este jogo foi a primeira vez que usámos algo chamado performance capture, que significa que gravámos as vozes e a movimentação das personagems simultaneamente para as sequências cinematográficas.

Por outras palavras, invés de recorrermos ao método tracional com os actores de voz, fizemos audições a novos actores e trouxémo-los para o estúdio, para podermos ver como representavam num ambiente ao vivo, invés de ser como no passado, em que ouvíamos um único take e escolhíamos os actores de voz tendo como base esse mesmo take.

O Robin foi um desses actores e o seu desempenho foi muito bom. Ele entrou bastante bem na personagem e a linguagem corporal foi óptima, já que ele também é alto e tem uma constituição idêntica ao Capelli, o que trabalhou muito bem em benefício da personagem, embora estivéssemos conscientes que ele tinha desempenhado outros papéis em jogos anteriores.

ZWAME: Mas houve alguma razão por detrás da escolha de um novo actor para dar voz ao Capelli? Não estavam satisfeitos com o actor do Resistance 2?

Jon Paquette & Cameron Christian: 

Foi principalmente devido à constituição da personagem. Nós falámos sobre isso na altura mas o actor anterior teria ainda de fazer a audição, ao passo que o Robin já tinha experimentado e correspondia na perfeição fisicamente com o Capelli.

ZWAME: Os Angels morreram por completo, ao passo que o Malikov, que insinuou que iria suicidar-se, afinal encontra-se vivo. Correcto?

Jon Paquette & Cameron Christian: 

Exactamente. Foi apenas um momento de fraqueza no que diz respeito ao Malikov.

ZWAME: Existe alguma ligação entre os Chimera puros do Resistance 2 e os Widowmakers que vimos num dos trailers mais recentes? 

Jon Paquette:

Sem me querer alongar muito sobre a história, nós explicamos algumas coisas sobre os Chimera puros no Resistance 3 por intermédio dos Malikov Diaries, que basicamente são um conjunto de diários que reúnem as teorias do Malikov a respeito dos Chimera, nomeadamente as suas origens e os seus principais objectivos no nosso planeta.

Entre outras coisas, será revelado também quem são os Chimera puros e o papel que estes desempenharam até agora ao longo da série. Também posso dizer que embora tenham estado na Terra há milhões de anos, AINDA não os vimos regressar… Fico-me por aqui.

ZWAME: Na narrativa que compõe o modo cooperativo do Resistance 2, é insinuado que a Terra teria estado originalmente noutro local, no que diz respeito ao seu posicionamento no espaço-temporal. Isto irá ser focado no Resistance 3?

Jon Paquette: 

Para ser sincero, este é o primeiro jogo da série no qual trabalho enquanto escritor. Embora tenha tido oportunidade de trocar impressões com o pessoal da Insomniac Games relativamente à sua visão original para a história, acabámos por apostar numa direcção um pouco diferente.

No final do Resistance 2, vemos o Hale a olhar para o céu e vê-se algo que parece um planeta parcialmente desfeito, numa altura em que ele fala de forma enigmática. Eu lembro-me de ver essa cena e pensar no que aquilo significava ao certo.

No período em que comecei a trabalhar no Resistance 3, assegurei-me desde logo que esse evento singular iria ter também uma resposta, resposta essa que passa pelos Malikov Diaries que já mencionei e se encontram espalhados ao longo do Resistance 3.

 

ZWAME: Há alguma personagem dos jogos anteriores que vá aparecer neste título que marca a conclusão da trilogia?

Jon Paquette & Cameron Christian: 

O Major Cartwright, que agora é General, irá de certa forma “aparecer”.

Muitas personagens tiveram um destino menos que feliz nos jogos anteriores da série, logo muitas delas não serão sequer mencionadas.

ZWAME: Quando o Hale tocou no Shepard no final do Resistance 2, eles essencialmente fundiram-se?

Jon Paquette: 

A meu ver, o Hale tornou-se no Alpha Chimera nesse momento, já que viu transferidos para si os poderes que o Daedalus tinha obtido dos Chimera puros.

Quando um ser humano é infectado com essa estirpe do vírus, o primeiro torna-se imensamente mais poderoso e dá-se uma profunda alteração a nível do do código genético quando as duas bases, humana e Chimera, se interligam.

Logo quando o Hale alcançou essa posição, ele veio-se a tornar no híbrido de Chimera e ser humano mais poderoso à face do planeta Terra.

No instante em que o Capelli se apercebeu desta metamorfose, viu que a sua única escolha era matar o Hale, pois caso contrário o mundo iria acabar de certeza.

ZWAME: No Resistance 2, existiam vestígios de uma outra raça que havia combatido os Chimera, bem como tecnologia encontrada em Bryce Canyon no Utah, cuja origem era desconhecida. Irão responder a isso?

Jon Paquette & Cameron Christian: 

Esse é outro mistério sobre o qual o Malikov se irá debruçar ao longo do Resistance 3.

ZWAME: O Malikov vai viajar ao lado do Capelli ao longo de todo o jogo? E já agora, o actor que dá voz ao Malikov é o Greg Ellis, certo?

Jon Paquette & Cameron Christian: 

Exactamente.

ZWAME: Quais foram as razões que vos que levaram à alteração do modo competitivo de sessenta jogadores do Resistance 2, para dezasseis jogadores no Resistance 3? 

Cameron Christian: Foi uma combinação de factores. Acho que o mais importante para a alteração é que queríamos que o principal foco do modo competitivo fosse o combate e que este, como reflexo do modo História, desse a entender uma luta desenfreada pela sobrevivência, já que restam poucos seres humanos.

Independentemente disso, foi-nos possível retirar diversos elementos dessa experiência para o modo competitivo do Resistance 3, nomeadamente o maior leque de opções e customização, tais como os perks. Também trouxemos de volta a wheapon wheel do primeiro Resistance, o que significa que podes transportar mais de duas armas ao mesmo tempo.

A outra vantagem é que como já não temos de nos preocupar com dar suporte a mais de sessenta jogadores por sessão, foi-nos possível tornar os mapas do modo competitivo visualmente mais atractivos e promover uma maior rivalidade entre um menor número de jogadores, o que se veio a revelar  uma prioridade para nós.

ZWAME: Existiu algum motivo em particular para conceber um modo cooperativo tão diferente daquele visto no Resistance 2?

Jon Paquette & Cameron Christian: 

O modo cooperativo do Resistance 2 foi bastante bem recebido sem dúvida mas ao mesmo tempo, também houve muitos jogadores que sentiram falta de jogar o modo história em cooperação com os seus amigos. Em última instância, adoptámos o modo presente no Resistance 3 de acordo com os desejos da nossa comunidade online.

ZWAME: Não existe uma narrativa independente para o segundo jogador que nos acompanha no modo história? 

Jon Paquette & Cameron Christian:

Isso foi algo com que nos debatemos desde o princípio.

Sabíamos que queríamos fazer um excelente jogo e houve possibilidade de investir mais tempo no John Harper, que é o nome da outra personagem no modo cooperativo. Contudo, achamos que aquilo que os jogadores iriam valorizar mais seria a experiência do modo história com outro amigo, logo acabamos por descartar a ideia de aprofundar essa personagem.

ZWAME: Irá existir alguma conectividade entre o Resistance 3 e o Resistance: Burning Skies, que vai ser lançado para a PlayStation Vita?

Jon Paquette & Cameron Christian:

Infelizmente não. Nós tinhámos que lançar o jogo agora e a PlayStation Vita ainda se encontra em fase de planeamento.

ZWAME: Também está a ser feito por outra produtora, certo?

Jon Paquette & Cameron Christian:

Sim, pela Nihilistic Software.

ZWAME: Têm algum cargo de supervisão relativamente à narrativa?

Jon Paquette & Cameron Christian:

Eles têm a sua própria equipa de escritores. Contudo, já tive oportunidade de falar com eles relativamente à direcção da narrativa e estou confiante que tanto o jogo como a história vão ser excelentes.

ZWAME: Muito obrigado a ambos.

Jon Paquette & Cameron Christian:

Obrigado nós.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close