Análises

Darkstalkers Resurrection

Numa época em que os jogos de luta brotavam como cogumelos em consequência do sucesso estrondoso do Street Fighter 2 original e das suas variantes, a Capcom, responsável pelo início da febre, decide continuar a apostar em novos franchises. Um dos jogos que resultou desta orientação foi Darkstalkers: The Night Warriors, lançado em 1994 para as máquinas de arcada, que tentava desenjoar de Ryu, Ken, Blanka e companhia com um elenco mirabolante de personagens cruzando elementos de horror clássico com visuais de inspiração anime.

O sucesso foi limitado por um mercado saturado que viu serem lançados no mesmo ano jogos como King of Fighters 94 ou Art of Fighting 2, ambos para o sistema Neo Geo da SNK. Mesmo assim, seguiram-se duas sequelas (além de séries de televisão e banda desenhada). Night Warriors: Darkstalkers’ Revenge tentou dividir atenções com Street Fighter Alpha em 1995 e Darkstalkers 3 chegaria em 1997. Darkstalkers Resurrection é uma compilação do segundo e do terceiro jogos (Night Warriors e Darkstalkers 3), trazendo para a geração de consolas corrente personagens como a múmia Anakaris, Sasquatch ou Rikuo, um monstro anfíbio brasileiro.

Os ecrãs de alta definição nem sempre são simpáticos para gráficos que representavam o melhor que se fazia na sua época, mas, em Darkstalkers Resurrection, dificilmente se poderia ter feito mais. Há um filtro que permite suavizar os pixels, é possível esticar a imagem ou rodeá-la de uma moldura onde são apresentados desafios, há um modo arcade cabinet, que cria a ilusão de estarmos diante de uma máquina de arcada e ainda o mais original de todos: um modo over the shoulder reminiscente do ângulo de visão de quem assistia a um jogo alheio.

Outras funcionalidades que demonstram bem o empenho da Capcom em criar uma experiência o mais completa possível é a profusão de modos online, bem como a possibilidade de upload directo de vídeos para o YouTube. Quem não se sentir à altura, poderá eleger o tutorial e aprender a jogar com cada personagem antes de enfrentar os desafios que desbloqueiam itens da galeria de arte.

Mesmo sem incluir o jogo original, Darkstalkers Resurrection é um esforço notável de recriação da experiência original, com atenção ao detalhe que constitui uma homenagem de peso a uma série que acabou por ficar injustamente perdida nas brumas do tempo.

Artigos Relacionados

Ver Também

Close
Close
Close