Análises

Diablo III (versão consola)

Diablo III foi lançado o ano passado para PC, e apesar das boas críticas, teve uma recepção mista por parte dos fãs. A obrigatoriedade de ter uma constante ligação à internet mesmo para jogar em modo single player, a Auction House e o sistema de loot, foram a causa dessa reacção, que ainda hoje, suscitam alguma discussão. Agora, é a vez de Diablo III chegar à PS3 e Xbox 360, trazendo consigo algumas novidades.

Começando por um dos pontos principais, a jogabilidade sofreu algumas alterações, de forma a ser adaptada às consolas. Um dessas alterações, é a ausência da Auction House. Talvez tenha sido já a pensar na recente decisão de fechar a Auction House, ou pode ter sido por outra coisa qualquer. Independentemente da razão que levaram à sua não inclusão, a verdade é que não tem um impacto negativo. Bem pelo contrário.

Isto deve-se ao facto de o sistema de loot ter sido melhorado. A versão consola tem ligeiramente menos loot que a versão PC, e a frequência com que se apanha melhor equipamento foi aumentada. Para além disto, a maioria do loot que se apanha, é para a personagem que se está a usar. Este é um facto importante, tendo em conta que existem cinco classes, cada uma com loot específico. E apesar da ausência da Auction House, continua a ser possível trocar itens com outros jogadores.

Esta versão de Diablo III, não suporta rato e teclado, e por isso, a jogabilidade teve de ser adaptada ao comando. Isso foi conseguido ao atribuir o controlo da personagem ao analógico esquerdo. A direcção carregada, também selecciona o inimigo, visível através de um contorno avermelhado. Já o analógico direito, é usado para o desvio de ataques dos inimigos. As seis habilidades, são atribuídas aos face buttons e aos R1 e R2 (RB e RT na Xbox 360). O resultado é uma solução bem conseguida, e que torna a jogabilidade intuitiva, sem nunca se sentir a falta de um rato e teclado.

Também a pensar nos utilizadores das consolas e no uso do comando, a user interface foi modificada. Pode parecer inicialmente confusa, mas esta user interface foi pensada na flexibilidade e na rapidez. De resto, contém toda a informação necessária da personagem e do equipamento. Sempre que apanham algum item novo, aparece a indicação no menu e a indicação se é melhor ou pior do que o equipamento actualmente a ser usado.

Diablo III console review screenshotDiablo III é um jogo longo, cuja história percorre quatro actos, cada um com várias quests. Completar a campanha pela primeira vez, desbloqueia o Nightmare mode. Após completarem o Nightmare mode e atingirem o nível 50, desbloqueiam o Hell mode. Posteriormente, ainda existe o Inferno mode, disponível após atingirem o nível 60. Cada um destes modos, tem oito níveis de dificuldade que podem ser alterados no menu de selecção de quests. Para além de inimigos mais fortes, aumentam também a quantidade de loot, dinheiro e experiência obtida, especialmente em Master.

O jogador tem à sua escolha cinco classes –  Wizard, Monk, Barbarian, Demon Hunter e Witch Doctor – cada uma com um estilo de jogo diferente. Não existem skill trees, podendo as habilidades serem alteradas em qualquer altura e atribuídas a qualquer um dos seis botões. Experimentar cada uma das classes, obter melhor equipamento e testar as várias habilidades com diferentes builds, é algo divertido e bastante gratificante. Para além disto, Diablo III , permite que até quatro jogadores possam completar a campanha em modo cooperativo em qualquer nível de dificuldade, desde que tenham os requisitos necessários. Diablo III é um jogo ideal para se fazer em modo cooperativo, especialmente com amigos.

Se há coisa que não pode ser criticada, é a quantidade de conteúdo que Diablo III oferece. Entre completar a campanha nos vários modos, podendo fazê-lo em modo cooperativo, obter melhor loot e jogar com cada uma das classes, Diablo III oferece facilmente centenas de horas de jogo.

Nas consolas, e não será surpresa para ninguém, Diablo III não é graficamente tão detalhado como a versão PC. Ainda assim, a Blizzard fez um bom trabalho no port, pois mantém a mesma arte conceptual da versão PC, e conta também com as excelentes cinemáticas. No que toca à performance, o jogo tem os 60 fps como alvo, mas dependendo da quantidade de jogadores e inimigos no ecrã, podem ocorrer algumas quebras de frame rate.

A câmara de jogo também está diferente da existente na versão PC, pois está mais perto da personagem e num ângulo mais baixo, retirando alguma visibilidade. Em contrapartida, a densidade de monstros foi reduzida, assim como a frequência de ataques off-screen.

Diablo III nas consolas é um port, mas não deixa de ser um bom port. Pode não ter o aspecto da versão PC, mas também não tem os seus problemas. Para além disto, é um jogo ideal para ser jogado em modo cooperativo. A verdade, é que é mais fácil recomendar a versão consola do que a versão PC. Com as adaptações feitas à user interface e ao controlo da personagem, Diablo III está perfeitamente confortável na PS3 e Xbox 360.

Artigos Relacionados

Ver Também

Close
Close
Close