Análises

Kingdom Hearts HD 1.5 ReMIX

Kingdom Hearts HD 1.5 Remix é a remasterização para HD de Kingdom Hearts Final Mix, uma versão que chega pela primeira vez ao Ocidente, e de Kingdom Hearts Re:Chain of Memories. Também incluído sob a forma de uma longa-metragem está Kingdom Hearts 358/2 Days. Esta compilação marca a estreia da série Kingdom Hearts na PS3.

A estrela deste pacote é Kingdom Hearts Final Mix. Este título representa o inicio de uma colaboração entre a Disney e a Square, em que várias personagens e universos de ambas as companhias se misturam num action RPG. O jogador irá acompanhar as aventuras de Sora, Goofy e Donald por vários mundos temáticos da Disney, tais como Wonderland, Neverland ou Agrabah. Pelo caminho, algumas caras bem conhecidas da Square como, por exemplo, Cloud, Squall ou Tidus, dão o ar de sua graça.

O inicio é extremamente aborrecido mesmo para quem jogou o original e demora algumas horas até começar a apanhar ritmo. Em contrapartida, depressa nos apercebemos que as secções de plataformas continuam tão más e frustrantes como antes. Os saltos de Sora são imprecisos e como tal, repetir secções de plataforma será algo de habitual ao longo do jogo.

Kingdom Hearts HD 1.5 ReMIX review screenshot 1Apesar de ligeiramente melhor, a câmara de jogo continua longe de ideal. Independentemente de se escolher a opção “automatic” ou “manual”, a câmara não consegue acompanhar da melhor forma a acção durante o combate. Isto é particularmente notório durante as primeiras zonas onde Sora não tem movimentos de desvio nem magias de cura. A solução passa por ter de fugir para se conseguir usar uma poção, algo de si só complicado quando a câmara não mostra de onde vem o ataque.

Apesar de as aparências poderem indicar o contrário, Kingdom Hearts Final Mix é um jogo desafiante e os problemas causados pela câmara, podem tornar a experiência global algo frustrante. À medida que se vai avançando, o jogo ganha bastante mais ritmo e interesse, e após a segunda visita a Traverse Town, o divertimento já está instalado. A própria câmara deixa de ser tão problemática, pois Sora já está mais resistente a ataques e já é possível curar sem ter de se fugir. Sendo a versão Final Mix, podem contar com conteúdo extra que tem algumas referências aos eventos de Kingdom Hearts 2.

O sistema de combate em tempo real é rápido e à medida que Sora sobe de nível e desbloqueia novas habilidades, os combates tornam-se ainda mais fluidos e dinâmicos. Goofy e Donald são companheiros razoavelmente eficientes, e desde que os seus inventários estejam bem organizados, conseguem dar um bom apoio ao jogador tanto no ataque como em magias de cura quando Sora está à beira da morte.

Graficamente, o estilo animado do original resulta muito bem em HD. Os gráficos mais detalhados das personagens e dos cenários dão vida à estética dos vários mundos da Disney e até as personagens da Square, encaixam muito bem neste estranho universo. A acompanhar isto tudo, está uma excelente banda sonora composta por Yoko Shimomura.

O segundo título desta compilação é o Kingdom Hearts Re:Chain of Memories, originalmente um título 2D lançado para o Gameboy Advance que teve direito a um remake 3D para a PS2, mas que nunca chegou à Europa.

Re:Chain of Memories apresenta um sistema de combate diferente de Final Mix baseado em cartas. Continuam a ser batalhas em tempo real e continua a ser possível movimentar Sora livremente pelo campo de batalha, mas os ataques estão dependentes de cartas. Estas cartas variam de simples ataques a magias ou summons e quando um baralho de cartas chega ao fim, é necessário aguardar alguns segundos para que volte a ficar disponível. O tempo de espera aumenta progressivamente sempre que o baralho chega ao fim. Este sistema de cartas torna o combate mais táctico mais também aumenta a curva de aprendizagem, resultando numa menor fluidez de jogo.

A nível de história, Re:Chain of Memories serve de ligação entre Kingdom Hearts 1 e 2, e o foco recai numa misteriosa organização que tem particular interesse em Sora. Tal como se sucede em Final Mix, os eventos em Re:Chain of Memories ocorrem a um ritmo lento, mas neste caso, demora bastante mais tempo até ao jogo se tornar verdadeiramente interessante.

Kingdom Hearts HD 1.5 ReMIX review screenshot 2Por último, Kingdom Hearts: 358/2 Days também está incluído nesta compilação mas não sob a forma de jogo. Em vez disso, todas as cutscenes de 358/2 Days foram editadas resultando num longo filme com cerca de 3 horas de duração. Depois de dois títulos em que a história começa demasiado lentamente a ganhar ritmo, a vontade de ver uma longa-metragem que apresenta uma narrativa aborrecida e desinteressante, é escassa. É despontante terem beneficiado apenas as cutscenes ao invés de terem destacado o jogo todo.

Kingdom Hearts HD 1.5 Remix não é uma compilação perfeita. A câmara de jogo e secções de plataformas de Final Mix deveriam de ter sido melhoradas, o sistema de cartas do Re:Chain of Memories não é tão bom como o sistema de luta de Kingdom Hearts, e a transformação de 358/2 Days num filme é difícil de engolir.

No entanto, esta compilação é uma boa forma de apresentar os dois primeiros jogos da série a quem não teve oportunidade de os jogar, ao mesmo tempo que transmite uma enorme sensação de nostalgia a quem os jogou. A inclusão da versão Final Mix de Kingdom Hearts é um bom pormenor e existe conteúdo suficiente nesta compilação para vos ocupar durante 50 horas.

Artigos Relacionados

Ver Também

Close
Close
Close