Análises

Minecraft: Dungeons

Diablo-lite.

Versão testada: PC

Minecraft é extremamente popular em todas as plataformas por onde passa e é fácil perceber o apelo deste jogo, especialmente para quem gosta de dar asas à sua criatividade ou para quem gosta do aspecto sobrevivência. Mas eis que chega agora Minecraft: Dungeons, um spin-off que visa pegar no estilo visual característico de Minecraft e misturá-lo com o género dungeon crawler. Pode ser uma ideia estranha, mas na realidade, diria que funciona bem como uma extensão de Minecraft.

A história de Minecraft: Dungeons é bastante simples. O Arch-Illager está a espalhar caos na região e cabe ao jogador pará-lo. Para isso terão de percorrer nove níveis diferentes, cada um com o seu estilo visual próprio, e derrotar os inimigos e bosses que vão aparecendo pelo caminho. Devo dizer que os diferentes cenários estão muito bem conseguidos e incluem vilas destruídas, pântanos, minas e castelos. De referir que o layout das missões mistura algumas secções fixas com secções geradas aleatoriamente, o que incute alguma surpresa sempre que se repete uma missão.

A campanha é curta; eu completei-a em pouco menos de 4 horas, mas sendo um dungeon crawler, a longevidade vem do end game e não especificamente da campanha. Uma vez completada a história, são desbloqueados novos níveis de dificuldade que, além de oferecerem um maior desafio com inimigos mais poderosos, oferecem igualmente melhor loot. E loot é um aspecto muito importante neste género de jogos. Minecraft: Dungeons tem diversos tipos de armas, incluindo espadas, punhais e machados, entre outras, sendo que cada uma tem o seu próprio combo. Os diferentes sets de armaduras também têm perks únicos. Um set pode oferecer maior agilidade ou maior ataque, enquanto que outro set pode oferecer maior defesa em troca de cooldowns mais longos.

Sejam armas ou armaduras, o aspecto RNG está muito assente nos enchantments. O equipamento encontrado inclui enchantments, que é como quem diz, bónus de ataque ou defesa, separados das características únicas desses mesmos itens. Isto significa que podem encontrar o set de armadura que melhor se encaixa no vosso estilo de jogo, mas com um mau conjunto de enchantments. Este é um aspecto muito característico dos dungeon crawlers e é algo que aumenta a longevidade do jogo, já que está presente o conceito “carrot on a stick”. Eventualmente, vão encontrar itens bons o suficiente que vos permitem repetir as missões num nível mais difícil, com o intuito de potencialmente receber itens com melhores enchantments.

Apesar disto, Minecraft: Dungeons é um jogo acessível a todos, independentemente do seu nível de habilidade ou experiência no género. Este jogo não tem um sistema de classes ou skill tree. O mais próximo disto são os artefactos, que conferem à personagem até 3 habilidades especiais, como aumento temporário da velocidade de ataque ou paralisação temporária dos inimigos em seu redor. Além disso, também não tem crafting, peças de equipamento para diferentes partes do corpo, escudos ou acessórios, e bounties. Mas esta simplicidade acaba por ser uma faca de dois gumes. Se por um lado torna o jogo acessível a um maior leque de jogadores e oferece diversão imediata, por outro, retira parte do que torna os dungeon crawlers em jogos tão apelativos a longo prazo: a experimentação e optimização.

O jogo utiliza uma visão isométrica, semelhante a Diablo, e apresenta um combate com características hack and slash. A variedade de inimigos é boa e as missões tendem a fazer um bom trabalho em misturar diferentes tipos de mobs. Isto incentiva a que, pelo menos até chegar ao nível de dificuldade mais elevado, o jogador se adapte às circunstâncias das missões e tire partido dos perks únicos do equipamento. Por exemplo, se uma missão tem uma maior quantidade de inimigos com ataques a longa distância, talvez seja bem pensado utilizar uma armadura que reduza o dano causado por projécteis. Os artefactos que mencionei anteriormente ajudam a complementar isto, e ajudam quando as coisas se complicam.

Minecraft: Dungeons suporta modo cooperativo online até 4 pessoas, mas esta funcionalidade é, pelo menos por enquanto, limitada. O modo online não tem matchmaking e apenas funciona com amigos. Além disso, e talvez a maior desilusão de todas, é a impossibilidade de trocar itens com os amigos. O vosso amigo apanhou a arma que vocês andavam à procura e não precisa dela? Bem, paciência, porque não existe trading. É de facto uma decisão estranha isto não ter sido implementado no jogo, uma vez que camaradagem e entreajuda num jogo com loot não tem só a ver com derrotar inimigos, mas também em ajudar os outros a tornar os seus bonecos mais fortes.

Minecraft: Dungeons é um jogo divertido e fácil de pegar, que poderá ser apelativo mesmo para aqueles que não gostam de Minecraft ou que não estão familiarizados com o género dungeon crawler. Os diferentes elementos aleatórios oferecem o tipo de coisas que se esperam deste género de jogos, tornando a procura por loot viciante. Porém, a maior acessibilidade traduz-se num jogo menos profundo que o habitual e num jogo onde a experimentação existe numa menor escala. Dito isto, Minecraft: Dungeons é um jogo sólido, que tem uma boa fundação para o que quer que seja adicionado no futuro.

Sistema utilizado: Intel i7 6700k 4GHz, MSI Strix RX 480 8GB, 16GB RAM DDR4 2400MHz, SSD OCZ 250 GB
Nota editorial: Cópia fornecida pela editora para efeitos de análise.

Veredito

Nota Final - 7.5

7.5

A abordagem mais simplista ao género dungeon crawler por parte da Mojang é interessante, e o resultado é um jogo que pode ser apelativo mesmo para quem não seja fã de Minecraft ou de dungeon crawlers.

User Rating: Be the first one !

Ricardo Silvestre

É o editor da ZWAME Jogos e faz um pouco de tudo no site. Gosta em particular de jogos de corrida, jogos de luta e RPG's, mas também não diz que não a um bom jogo com loot.
Back to top button
Close
Close