Análises

Lost Judgment

Takayuki Yagami regressa para um novo caso!

Versão testada: PlayStation 5
Disponível para: PlayStation 5, PlayStation 4, Xbox Series X/S

Depois de se ter estreado em 2018 no Japão e em 2019 na Europa, o detective Takayuki Yagami está de regresso para uma nova aventura, ou melhor dizendo, para um novo caso cheio de mistério, intriga e perigo em Lost Jugdment. Sendo este um spin-off da franquia Yakuza, vão poder contar com uma história pesada com alguns momentos muito sérios, juntamente com conteúdo secundário mais leve e exagerado para aligeirar o tom geral do jogo.

Lost Judgment decorre um par de anos após os eventos vistos em Judgment. Yagami vê-se subitamente embrulhado no julgamento de Akihiro Ehara, um homem acusado de assédio sexual. Durante o julgamento, aparece a possibilidade de Ehara estar ligado de alguma forma a um cadáver encontrado recentemente, e assim, Yagami é contratado para investigar este caso e descobrir a verdade. A história de Lost Judgment é mais pesada que a do seu antecessor, com alguns elementos a criar dúvida nas decisões morais de Yagami, mas outros elementos sérios não são utilizados com o devido tacto. Além disso, acho questionável Yagami andar à pancada com adolescentes dentro de um recinto escolar. Estou a ser relativamente vago em algumas coisas, porque a história é um dos aspectos mais importantes deste jogo, mas em termos gerais, achei a história de Judgment mais cuidada.

Existem também duas outras razões para ter gostado mais da história do primeiro jogo. A primeira razão prende-se com o papel de Saori Shirosaki na história. Mais uma vez, não vou dar muitos detalhes, mas digamos que Saori tem novamente uma missão de infiltração estilo a que aconteceu em Judgment. É pena que esta personagem não tenha tido um papel mais relevante nos eventos, tendo em conta o seu potencial. A segunda razão tem a ver com o ritmo de desenvolvimento. A história de Lost Judgment demora muito tempo a ganhar ritmo e quando ganha, é um ritmo inconsistente. A primeira missão do jogo, que é a típica missão de tutorial para introduzir as diversas mecânicas ao jogador, é consideravelmente mais longa que a missão de tutorial de Judgment.

O que igualmente não contribui positivamente para o ritmo de desenvolvimento da história é algumas das novidades a nível de jogabilidade. A principal é a introdução de secções de stealth, em que é preciso andar sorrateiramente em determinados momentos e neutralizar os inimigos sem dar o alarme. As missões de seguir um alvo estão de regresso, mas são mais longas, porque oferecem agora a opção de utilizar acções para “actuar de forma casual”, com o intuito de não despertar a atenção do suspeito, que acabam por estender ainda mais a duração destas sequências. A história é interessante, mas tudo junto faz com que não tenha um ritmo de desenvolvimento consistente.

Por outro lado, o sistema de combate de Judgment, que já era bom, foi melhorado em Lost Judgment. Yagami continua a ter à sua disposição os estilos de combate Crane e Tiger, sendo o primeiro focado para combates contra grupos de inimigos e o segundo focado para combates contra apenas um adversário. A principal novidade é a adição de um terceiro estilo de combate, chamado Snake. Com este estilo de combate activado, que confere uma aura verde a Yagami, ele consegue desarmar os adversário. Por outras palavras, é este o estilo que devem usar sempre que vão enfrentar inimigos armados. Snake tornou-se rapidamente no meu estilo de combate favorito e no mais utilizado, tendo sido o primeiro a evoluir completamente. De resto, a forma de combater de Yagami continua a ser super espalhafatosa, como seria expectável.

Ao contrário de Jugment, cujos eventos estavam limitados a Kamurocho, Lost Judgment decorre em Kamurocho e Ijincho. Kamurocho, que é a cidade principal da franquia Yakuza e que será a esta altura muito familiar para muitos jogadores, é um local mais pequeno mas denso. Por sua vez, Ijincho foi apresentada pela primeira vez em Yakuza Like a Dragon e é uma cidade maior. Por essa razão, Yagami pode utilizar o seu skate para facilitar as deslocações pela cidade. É uma pequena mas muito bem vinda melhoria de “Quality of Life” comparativamente a Yakuza Like a Dragon, uma vez que se anda frequentemente de um lado para o outro.

Em termos gerais, Lost Judgment é quase tão bom como o seu antecessor, mas por razões diferentes. Judgment vence na história enquanto que Lost Judgment oferece uma jogabilidade mais refinada. Este é um jogo com imenso conteúdo que, dependendo do que queiram fazer, pode facilmente oferecer mais de 40 horas de diversão. Contudo, o ritmo de desenvolvimento inconsistente da história e algumas decisões questionáveis a nível narrativo deixam a sua mossa. É um bom título apesar de tudo, mas resta esperar que a próxima aventura de Yagami e companhia recupere alguma consciência e bom senso.

Nota editorial: Cópia fornecida pela editora para efeitos de análise.

Veredito

Nota Final - 8

8

Lost Judgment é uma boa continuação mas que se perde numa história com alguns momentos questionáveis e num ritmo de desenvolvimento mais lento.

User Rating: Be the first one !

Ricardo Silvestre

É o editor da ZWAME Jogos e faz um pouco de tudo no site. Gosta em particular de jogos de corrida, jogos de luta e RPG's, mas também não diz que não a um bom jogo com loot.
Botão Voltar ao Topo