Warhammer 40,000: Dawn of War III

7.5 Overall Score

Balanceamento entre exército e unidades | Batalhas intensas e memoráveis | Bom design sonoro

Gráficos com alguma falta de detalhe | Curva de aprendizagem alta | Campanha singleplayer pouco interessante

Game Info

GAME NAME: Warhammer 40,000: Dawn of War III

DEVELOPER(S): Relic Entertainment

PUBLISHER(S): Sega

PLATFORM(S): PC

GENRE(S): RTS

RELEASE DATE(S): 27/04/2017

Não tendo seguido atentamente a série Dawn of War, estava um pouco receoso do que iria aqui encontrar. Já faz uns anos desde a última vez que joguei um Dawn of War. Mas depois de me ter voltado a habituar ao género RTS e às mecânicas mecânicas específicas do jogo, confesso que gostei do que vi em Dawn of War 3.

Dawn of War 3 é o primeiro jogo da série onde as três facções têm a mesma importância em simultâneo: Space Marines, Eldars e Orks. Trata-se de uma grande batalha espacial; um confronto de raças e impérios, tanto na campanha singleplayer como no modo multiplayer. Incorporar todas as facções no conflito ao mesmo tempo é uma boa adição, e traz uma maior dinâmica à jogabilidade, pois cada uma tem os seus pontos fortes e fracos.

As três facções têm uma grande variedade de unidades à disposição para desempenhar funções especificas. Infantaria com armas de fogo e armas corpo a corpo e veículos blindados são as principais unidades que compõem as nossas forças, com o suporte de artilharia de suporte de longa distância. Apesar de não haver aqui nada revolucionário no género, há algo suficientemente fresco graças a uma maior expansão implementada às unidades.

Não tendo um forte conhecimento do universo Warhammer, achei que Dawn of War 3 necessita de uma boa dose de conhecimento deste universo para se perceber bem quais as melhores opções tácticas e qual a melhor forma de gerir as unidades em campo. O tutorial fez um bom trabalho a ensinar os aspectos básicos, mas achei que era essencial ter mais conhecimentos prévios deste universo para realmente perceber claramente o que resulta e o que não resulta.

A campanha é mediana, adicionando uma grande quantidade de informação ao lore de Warhammer. A escala das batalhas consegue ser impressionante em algumas alturas. Os mapas começam por ser de pequenas dimensões e com objectivos simples, mas depois expandem-se e oferecem outros objectivos mais difíceis de atingir. No entanto, pouco mais consegue oferecer.

São 17 missões de história, cuja duração varia entre 30 minutos e 1 hora, que na pratica quase funcionam como um tutorial avançado ou como um treino, se preferirem. O jogo apresenta uma diversidade de desafios e cenários aos jogadores, preparando-os assim para lutar contra outros jogadores no modo multiplayer.  Se são veteranos da série, podem deixar a campanha singleplayer de lado e passar directamente para o multiplayer, pois já têm conhecimento de todos os aspectos fundamentais da jogabilidade.

E é no modo multiplayer que  Dawn of War 3 mostra realmente o que é. O que importa é o aspecto ofensivo. Como não existem muitas opções defensivas, um mau planeamento ofensivo ou um estilo de jogo defensivo facilmente leva à derrota. Alguns mapas têm áreas que podem ser usadas para protecção ou para planear uma emboscada, mas na maior parte do tempo, trata-se de batalhas em áreas abertas.

Mas há que ter alguma atenção. Dawn of War 3 limita o tamanho dos exércitos, e quanto mais tropas tiverem em campo, menor é a quantidade de recursos obtidos. Um adversário pode estar à beira da derrota, mas isto significa que vai conseguir amealhar mais recursos em menos tempo, e pode voltar em força para um contra-ataque. Estas reviravoltas criam batalhas intensas e memoráveis. Entre partidas, é possível fazer ajustes às unidades e é também possível personalizar o esquema de cores para cada unidade.

Visualmente, Dawn of War 3 não é nenhum colosso. Em vista afastada, o jogo tem bom aspecto, mas ao de perto, nota-se uma maior falta de detalhes. Já para não falar que a camara de jogo nem sempre faz um bom trabalho a mostrar bem o que se passa no campo de batalha. Em termos sonoros, a banda sonora é de boa qualidade, assim como os efeitos especiais.

O principal ponto forte de Dawn of War 3 é sem dúvida o balanceamento dos exércitos e das unidades. A campanha singleplayer é desapontante, não só pela forma como a narrativa é apresentada, como também porque as missões funcionam como um treino para o modo multiplayer. Dawn of War 3 talvez não viva às expectativas dos fãs, mas é um RTS sólido e competente.

 

Nota editorial: Foi-nos fornecida uma cópia deste jogo pela Ecoplay para efeitos de análise
Sistema utilizado: Intel I7 6700k 4GHz, Strix RX 480 8GB, 16GB Ram DDR4, Windows 10

SHARE THIS POST

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Buzz
  • Reddit
  • Stumnleupon
  • Delicious
  • Digg
  • Technorati
Author: Daimon View all posts by

Leave A Response