Análises

Football Manager 2018

Versão testada: PC

Mais um ano, mais um Football Manager. Para aqueles não conhecem esta série, que já data de 2004, trata-se de um jogo futebolístico que nos oferece a posição de treinador e temos que levar o nosso clube ao sucesso, sendo necessário gerir tudo, incluindo plantéis, treinos e tácticas. Muitos dos que conhecem esta série já se devem estar a perguntar que novidades tem este FM 2018 em relação ao anterior. São poucas e nada que mais do que uma tentativa de juntar o útil ao… jogo que ainda tem os problemas antigos dos anteriores Football Manager.

Dinâmica é um novo sistema de Football Manager 2018, que tem como objectivo adicionar uma nova camada de realismo ao jogo. Este sistema visa relacionar o estado da coesão da equipa com o estado do suporte administrativo e o desempenho da equipa no relvado. A hierarquia (Dinâmica) apresenta um quadro, dividido em 4 partes, com os jogadores que são influenciadores. Os grupos sociais, que podem estar divididos em 3 ou 4 grupos, têm como função mostrar a ligação entre os jogadores. Nas Dinâmicas (Satisfação), também podemos observar a felicidade do plantel, se estão contentes com o treino, com o clube, etc, assim como podemos convocar uma reunião de equipa e falar sobre o desempenho actual da equipa, para tentar aumentar a moral do grupo.

Football Manager 2018 também tem uma nova funcionalidade chamada “Centro médico”. Com isto, podemos ver de forma mais pormenorizada as lesões dos jogadores, tomar a atenção à condição física dos jogadores, ver o histórico de lesões que os jogadores tiveram e ver a Análise de Risco de cada jogador, entre outras coisas. O Scouting apenas recebeu uma melhor organização e pela primeira vez na série, podemos melhorar as instalações e comprar pacotes que cobrem as ligas locais, nacionais ou continentais. Tanto como o Social Groups e o Medical Centre, foram dos aspectos que mais me agradaram neste Football Manager, assim como gostei do fato de podermos observar os pontos fortes e os pontos fracos do nosso próximo adversário. O motor gráfico levou um ligeiro upgrade (sendo que agora suporta o DirectX 11), apesar de ser considerado algo secundário. Um ponto positivo deste Football Manager 2018 são os carregamentos. Noto que estão muito mais rápidos que os anteriores títulos.

Mas deixando as novas funcionalidades e o motor gráfico de lado, e altura de falar daquilo que é um dos núcleos mais importantes do Football Manager: tácticas. Como sempre, o jogador tem que construir uma táctica com pés e cabeça para levar o clube até ao sucesso. Futebol ofensivo ou defensivo, com ou sem posse de bola, fluído ou estruturado, frequência dos cruzamentos, passes curtos ou mistos, etc. Existe muita coisa para o utilizador escolher. No entanto, tenho um ponto negativo a apontar às tácticas do jogo. Sinto que algumas tácticas são demasiado fortes em relação a outras. Por exemplo, utilizo um esquema 4-3-3 ofensivo (dois defesas centrais, dois defesas laterais, três médios e três avançados) ofensivo e num dos jogos dei 8-0 ao FC Bayern Münich e acho isso irrealista.

Os guarda-redes, mesmo os melhores como, por exemplo, David De Gea ou Manuel Neuer, parecem patos a defender. Não sabem obrigar as bolas a irem para a frente ou para outra direcção que não leve a esfera para a baliza. O motor do jogo (atenção que não me refiro ao motor gráfico) é algo retardado. Por vezes os jogadores não fazem aquilo que lhe pedimos (nas instruções) nos cantos e nos livres. Ora peço-lhes (nos cantos) para apontarem ao 2º poste e fazem precisamente o contrário ou mandam a bola para outro lado.

A Sports Interactive muito gosta (pela negativa) de tentar minar o balneário do nosso clube, com alguns jogadores a queixarem-se constantemente de que precisam minutos ou pelo fato de quererem ser titulares. Que dizer das transferências neste Football Manager? A Sports Interactive continua também a dormir neste capítulo. Clubes a exigirem um bolo de muuuuuuuuuuitos milhões para tentar contratar X jogador completamente desconhecido é algo sem sentido. Por exemplo, tentei contratar um jovem ponta-de-lança desconhecido do AC Milan e o clube italiano pediu 39,5 Milhões de euros.

As novas features de Football Manager 2018 trouxeram uma pequena lufada de ar fresco à série, mas os seus problemas antigos continuam a persistir e a Sports Interactive parece não querer saber disso. Football Manager 2018 fez uma exibição “à lá” SL Benfica (sem nada contra o clube e sem nada contra os adeptos encarnados) e sai daqui com um empate.

Nota editorial: Foi-nos fornecida uma cópia deste jogo pela Ecoplay para efeitos de análise e a análise foi feita maioritariamente com a versão beta.

Nota Final - 6

6

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver Também

Close
Close