Análises

Conan Exiles

Lutar pela sobrevivência

Versão testada: PC

“Mais um jogo de sobrevivência” foi a minha reacção inicial, mas passadas algumas horas, apercebi-me de que estava a gostar mais deste título do que esperava. Conan Exiles é um jogo de sobrevivência em mundo aberto, que decorre nas terras selvagens de Conan the Barbarian. Vamos começar sem nada e vamos enfrentar enormes desafios até completar o nosso destino.

Antes de chegarmos ao jogo propriamente dito, há que criar o nosso avatar e escolher a raça, religião e o quão nus queremos que o boneco esteja. Depois deste processo, começamos presos a uma cruz, e vemos Conan the Barbarian a aproximar-se, acabando por nos ajudar a libertar daquela embrulhada. Depois, estamos por nossa conta e temos que explorar a área inicial em busca de preciosos recursos.

Sendo um jogo de sobrevivência, vamos começar sem nada, completamente nus e desprovidos de qualquer coisa que nos ajude na nossa demanda. É necessário encontrar alimento, descobrir materiais, e arranjar armas e equipamento. Não é nada fácil e, apesar de não ser nada que não se tenha visto noutros jogos do género, o setting escolhido torna-o muito apelativo, porque se trata de um mundo muito bem realizado e impiedoso, o que ajuda a que Conan Exiles se diferencie da restante oferta do género no mercado.

Um dos melhores aspectos, em adição ao dar para construir edifícios e fortalezas com os recursos apanhados no mapa, é a possibilidade de recrutar NPCs e atribuir-lhes funções. Estes NPCs são encontrados nos seus próprios terrenos, dando para os sequestrar, levá-los até à nossa base e fazer uma lavagem cerebral até que se tornem nos nossos vassalos, nos peões usados para, se for preciso, defender a base até à morte.

É uma ideia com bastante potencial, mas cuja execução deixa a desejar. Alguns dos NPCs que “recrutamos” não são fiáveis, e a sua utilidade torna-se muito reduzida. Por exemplo, os arqueiros necessitam de que os adversários se aproximem comicamente deles para começarem a disparar. Por sua vez, os guerreiros por vezes desaparecem definitivamente quando vão atrás de um inimigo, e acabam por morrer sem que os consigamos salvar a tempo.

Conan Exiles tem algumas semelhanças em termos de jogabilidade com Ark: Survival Evolved. No entanto, em tudo o que mais importa, Conan Exiles é o melhor jogo, desde os visuais, passando à facilidade do uso do sistema de crafting, indo até ao divertimento que se retira da funcionalidade de todos os sistemas presentes neste título. Até a nível de performance, Conan Exiles é o melhor dos dois, portanto, se são fãs de Ark, irão encontrar aqui uma boa e melhor opção no género.

A progressão do jogo requer a construção de uma base, mas os materiais e recursos necessários apenas são encontrados em lugares específicos do mapa. Portanto, temos de construir uma base e usar essa base para melhorar o nosso equipamento, de forma a nos prepararmos para uma excursão em buscar de novos materiais. Depois temos de regressar à nossa base e utilizar os materiais na evolução dessa mesma base ou do equipamento, ou então, criar uma nova base no novo sítio, mas deixando tudo o que investimos na outra base para trás. É necessário algum planeamento do que fazer, e decidir se é preferível manter várias bases, mesmo que estejam muito afastadas, ou investir apenas numa base de cada vez.

Tendo saído recentemente do Early Access, é claro que ainda existem problemas a corrigir ou decisões de design que devem receber a devida atenção. Por exemplo, a ausência de um mini-mapa dificulta a exploração, porque é necessário abrir o mapa principal para vermos onde estamos e para onde queremos ir. Mas no geral, é tecnicamente um jogo melhor que Ark. Mesmo com soluços ocasionais e algum lag à mistura, é um título mais fluido do que Ark alguma vez foi. Ainda mais notório é, porque joguei Ark recentemente.

Sem grandes surpresas, os combates em Conan Exiles são violentos, dando para arrancar várias partes do corpo de forma agressiva. Podemos usar alguns combos básicos, shields para nos defendermos e desvios para escaparmos dos ataques inimigos ou para nos aproximarmos deles para um ataque rápido. A maioria dos adversários conseguem ser uma ameaça a ter em conta, o que obriga a que estejamos atentos à sua movimentação, além de que é preciso estar de olho na nossa stamina. Não é um sistema de combate muito profundo ou sequer único, mas para um jogo de sobrevivência, não é tão trapalhão como a concorrência.

Graficamente, Conan Exiles é um título decente para o género. O modelo dos jogadores e as construções têm geralmente uma boa quantidade de detalhes, mas os ambientes nem tanto. As pedras e as árvores, aquilo que vamos olhar durante tanto tempo, não apresentam texturas de qualidade. O pior acaba mesmo por ser a quantidade de bugs existentes actualmente, como inimigos caírem pelo cenário, problemas de hitboxes, clipping no cenário, e a dessincronização entre a acção e os sons. Existem mais, mas estes são os mais chamativos. E embora não seja um bug, algumas animações são medíocres.

Conan Exiles é um título capaz de oferecer dezenas de horas de jogo, especialmente para quem é fã de jogos de sobrevivência. É verdade que não oferece nada de muito diferente face a outros jogos do género, mas aquilo que faz, consegue fazê-lo bem. Apesar de já não estar em Early Access, ainda contém demasiados bugs e este é actualmente o maior problema do jogo. No entanto, existe aqui muito potencial e espaço para melhorias, e o setting escolhido foi muito bem realizado, tornando-se sem dúvida num dos principais pontos de destaque de Conan Exiles.

Sistema utilizado: Intel i7 6700k 4GHz, MSI Strix RX 480 8GB, 16GB RAM DDR4 2400MHz, SSD OCZ 250 GB
Nota editorial: Cópia fornecida pela editora para efeitos de análise.

Veredito

Nota Final - 7.5

7.5

Apesar de ter demasiados bugs, Conan Exiles é um título divertido, com muito potencial, que oferece um mundo implacável e bem realizado. Sem dúvida, uma opção a ter em conta neste género de jogos.

User Rating: Be the first one !
Close
Close