Análises

Dead Rising 4: Frank’s Big Package

O grande pacote do Frank

Versão testada: PlayStation 4 Pro

Dead Rising 4 foi lançado há cerca de um ano para a Xbox One e para o PC, mas não foi recebido de forma assim tão calorosa pelos fãs, porque distanciou-se uma vez mais daquilo que definiu as fundações da série Dead Rising. Agora, com mais conteúdo e algumas melhorias, é a vez de o jogo chegar à PlayStation 4. Será que é o suficiente para atraír os fãs desta série na plataforma da Sony? Resposta curta: provavelmente não. A resposta mais longa está em baixo.

Frank está de volta, sendo que desta vez, tem de descobrir os segredos de uma conspiração governamental. Como seria de esperar, também irá dar uma valente carga de porrada em hordas de zombies que enchem o mapa, e usar objectos normais do dia-a-dia como armas. A história em si, tal como nos anteriores títulos, não é particularmente entusiasmante nem bem escrita, mas tem algum humor que é apresentado nas alturas certas.

Aqueles que esperavam que Dead Rising 4 fosse um título mais próximo dos dois primeiros jogos vão certamente ficar desiludidos. Tal como em Dead Rising 3, este quarto título não tem missões em contra-relógio, algo que definiu o início da série e que a diferenciava das de mais. Ou melhor, este tipo de missões aparece num pequeno episódio DLC, mas na campanha base, este tipo de sistema é inexistente. O retirar de missões em contra-relógio tem como consequência a ausência de qualquer forma de urgência nas nossas acções e também retira toda e qualquer necessidade de planear o que fazer.

O combate de Dead Rising 4 é o melhor da série. O combate corpo-a-corpo de Frank é mais responsivo, as armas de fogo são mais precisas, e os explosivos são divertidos de usar. E com as blueprints, podemos construir combinações malucas de armas, que nos oferecem formas pouco ortodoxas de lidar com os zombies. Se ainda não for caos suficiente, dá para evoluir e usar veículos. Dead Rising 4 também oferece uma grande quantidade de personalização para o aspecto de Frank, que incluem casacos, calças, sapatos, chapéus, e até alguns fatos completos.

Como compensação por ter chegado um ano mais tarde, a versão PS4 já inclui todo o conteúdo lançado ate então para as outras versões. Frank Rising, um episódio DLC, inclui missões em contra-relógio, o que é um ponto positivo para quem deseja a experiência mais tradicional Dead Rising. Capcom Heroes é um modo que chega a todas as plataformas, juntamente com a versão Frank’s Big Package. Neste modo, Frank mascara-se de personagens clássicas da Capcom, como Jill Valentine, Dante ou Viewtiful Joe, e usa os seus poderes específicos para enfrentar os zombies. É uma autêntica comédia ver Frank vestido de Cammy a realizar alguns combos.

O lançamento original de Dead Rising 4 na Xbox One e no PC foi alvo de bastantes críticas devido a alguns problemas de performance e a vários bugs. Tirando uma ou outra quebra de frame rate ocasional quando estão centenas de zombies no ecrã, a performance na PS4 Pro foi consistente e a que esperava. Em termos de bugs, lidei com o clipping de zombies. Por outras palavras, aconteceu em algumas situações os zombies entrarem no cenário e atacavam-me, mas eu não os conseguia atacar. Não foi frequente, mas quando acontecia, era sempre nas piores alturas.

E durante as minhas sessões, acabei por aperceber-me de algo; de que Dead Rising 4, além das missões com tempo limite, também carece de uma falta de atenção aos detalhes. No original Dead Rising, os zombies e o cenário reagiam muito mais às acções de Frank. Era possível pegar numa cadeira e atirá-la contra outras cadeiras, e estas reagiam ao impacto. Em Dead Rising 4 nem sempre é possível pegar em objectos do cenário, nem mesmo quando esses mesmos objectos estavam disponíveis no primeiro jogo. O mesmo vale para as hitboxes, que são bem mais inconsistentes no novo jogo, e a própria interacção dos zombies a algumas armas, como a moto-serras, é bem mais limitada.

Após ter jogado Dead Rising 4, é impossível não ter em conta que ao distanciar-se dos seus antecessores, o jogo vai acabar por alienar os fãs de longa data da série. Não só isso, como em muitas coisas, o primeiro Dead Rising consegue ser melhor, mais consistente e mais original que Dead Rising 4. Ainda assim, apesar das suas falhas, Dead Rising 4: Frank’s Big Package é um jogo decente, capaz de oferecer várias horas de diversão.

Nota editorial: Cópia da versão PS4 fornecida pela Ecoplay.

Veredito

Nota Final - 7

7

Dead Rising 4: Frank’s Big Package é divertido e oferece bastante conteúdo, mas distancia-se uma vez mais daquilo que tornou a franquia conhecida.

User Rating: Be the first one !
Close
Close