Análises

Mario + Rabbids Kingdom Battle

Os coelhos tiraram um Mario da cartola.


Inicialmente recebido com escárnio por muitos por ser uma combinação ridícula, Mario + Rabbids Kingdom Battle revelou-se não só um trabalho de amor, como um excelente jogo de estratégia que sabe como tirar proveito tanto dos loucos Rabbids da Ubisoft, como de Mario e companhia.

Tendo deitado as mãos ao SupaMerge – um aparelho parecido com um headset de Realidade Virtual que funde dois objectos num só -, um grupo de Rabbids viaja até ao Mushroom Kingdom na sua Máquina de Lavar Tempo. Um Rabbid não consegue tirar o SupaMerge da cabeça (literalmente) e funde acidentalmente Rabbids com vários objectos e criaturas, tornando os coelhos ainda mais sociopatas que o habitual. Explorando um mundo em confusão, vamos ter de derrotar vários Rabbids até conseguirmos recuperar o SupaMerge e devolver a calma ao reino da Princesa Peach, pelo menos até à próxima vez que o Bowser a raptar.
Mario, Luigi, Peach e Yoshi fazem-se acompanhar nesta aventura por Rabbids que se fazem passar por eles, como a vaidosa e obcecada com selfies Rabbid Peach ou o Rabbid Mario, um macho latino cheio de força e sempre com um palito na boca. Estes Rabbids não são tanto “versões coelhas” de Mario e companhia, mas sim a interpretação que os tresloucados Rabbids têm destes heróis.

Mario + Rabbids é um SRPG (Strategy Role Playing Game) por turnos, em cada um podemos dar ordens aos nossos três combatentes para se moverem, atacar e usar habilidades especiais. Nada fora de comum, mas aqui o movimento não está limitado a andar e arranjar cobertura; as personagens também podem pregar rasteiras e saltar em cima dos adversários para causar dano extra, antes ou depois de atacar. Podendo também receber uma ajuda dos colegas de equipa para saltar mais alto ou mais longe, conseguimos encadear uma data de acções num só turno, utilizando o cenário de uma maneira única para trabalhar em equipa e concretizar as estratégias mais elaboradas.
O jogo vai-nos atirando vários inimigos diferentes à medida que avançamos, cada um com as suas peculiaridades que devemos aprender para nos safarmos, porque, apesar do seu aspecto colorido e divertido, Kingdom Battle ainda oferece um desafio razoável, se bem que podemos seleccionar uma dificuldade mais baixa no início de cada batalha.

Também há várias missões co-op estupendas que podemos passar com mais uma pessoa (offline), onde o trabalho de equipa pode brilhar ainda mais, exigindo planeamento e comunicação aos dois jogadores. Para quem tem contas a ajustar, também foi adicionado gratuitamente um modo Versus onde podemos competir em batalhas mais curtas, estando cada jogador está limitado a três ações por turno. Com estas e outras particularidades, este modo revela-se algo diferente dos outros, sendo uma adição bem trabalhada e mais que bem-vinda.

O mundo está deslumbrante, parece uma sequência de dioramas de Super Mario onde os Rabbids se fizeram de convidados. Há muitas oportunidades para rir ao ver os coelhos a fazer das suas – o humor é básico, mas entretém -, assim como muitos segredos e desbloqueáveis (modelos 3D, música, armas, etc). Os puzzles entre batalhas não demoram a tornar-se pouco bem-vindos, consistindo uma boa parte deles em quebra-cabeças onde temos que empurrar blocos, algo que já está mais do que gasto.

A banda-sonora de Grant Kirkhope é absolutamente brilhante, sem cair no disparate de se focar demasiado em fazer novas versões de temas de Super Mario, está repleta de faixas e orquestrações brilhantes, com uma instrumentação muito característica do compositor. Além de soar bem, o jogo também é lindíssimo, dos fantásticos e detalhados cenários às óptimas animações e modelos; a equipa não só acertou na componente artística, como na técnica. Kingdom Battle corre quase sempre a 30 fps, com algumas quedas praticamente irrelevantes aqui e ali. Já a resolução é de 900p no modo consola, enquanto que em portátil a resolução baixa para 1066×660. No entanto, isto não é um problema graças a uma boa solução de anti-aliasing, à utilização inteligente de depth of field e ao estilo artístico adequado às limitações da consola.

Mario + Rabbids é excelente tanto para rir, como para pensar. Introduzindo as suas mecânicas pouco a pouco, é um SRPG fácil de aprender, mas desengane-se quem pense que é um passeio no parque por ser tão colorido e cómico. Fundindo com imenso sucesso a parvoíce dos Rabbids com o imaginário de Super Mario, Mario + Rabbids Kingdom Battle é um óptimo jogo de estratégia e dos melhores títulos que podes comprar para a Switch.

Nota editorial: Cópia fornecida pela editora para efeitos de análise.

Veredito

Nota Final - 9

9

Mario + Rabbids Kingdom Battle é uma surpresa deliciosa, consegue ser divertido e engraçado sem abdicar da profundidade necessária para fazer um jogo de estratégia interessante e desafiante. Imperdível.

User Rating: 4.3 ( 1 votes)

Ver Também

Close
Close
Close