Análises

Pikmin 3 Deluxe

Um tesouro que não merecia ficar enterrado

Versão testada: Nintendo Switch

Assim que nasce o sol, levantam-se todos para nos seguir cegamente. Vão carregar coisas várias vezes maiores do que eles, mandar muros abaixo, escavar para encontrar material explosivo, explorar locais inóspitos e lutar com monstros gigantes esfomeados. Até ao pôr-do-sol, haverá mil e uma maneiras de morrer e quem ficar para trás dificilmente sobreviverá aos horrores que se escondem na noite. Um dia novo nasce, mais cem soldados estão de pé, dispostos a dar tudo por nós até que qualquer destino cruel os leve e sejam substituídos por outros. A vida continua.

Apresentado assim, o jogo parece uma mistura de Apocalypse Now com Survivor, mas na realidade Pikmin 3 Deluxe é um jogo adorável, cheio de cor e vida, mesmo que isto esconda a brutalidade e indiferença da natureza. Alph, Brittany e o Capitão Charlie são intrépidos exploradores espaciais encarregados da missão de encontrar fontes de comida para acabarem com a fome no seu planeta natal Koppai. É em PNF-404 – um planeta com um aspecto familiar, coberto de vegetação e animais perigosos – que vão encontrar a fruta de que precisam para sobreviver e salvar o seu planeta. Também é lá que vão conhecer os Pikmin, pequenos seres que se assemelham a plantas e nos seguem para todo o lado. Sozinhos são presas fáceis, mas em grupo são super predadores que podem fazer frente ao mais medonho dos animais e tornam-se em aliados valiosos num local tão hostil.

Podemos alternar entre as três personagens em qualquer altura e temos a nosso cargo até 100 Pikmin, que nos seguem e fazem tudo o que lhes mandamos, quer isso signifique transportar fruta para a nave, destruir um muro ou lutar contra um animal gigante. Há várias espécies de Pikmin, cada uma com as suas particularidades, por exemplo: os vermelhos são bons lutadores e à prova de fogo, os azuis nadam e respiram debaixo de água e os de pedra pesam mais e partem objectos de vidro. As noites à superfície são perigosas, e, por isso, apenas temos o dia (18 ou 13 minutos de acordo com a dificuldade) para explorar os bosques, lagos, cavernas e tundras que nos esperam. Dar ordens a tantas criaturas em tempo real sem um rato e teclado pode parecer complicado, mas os controlos são simples: basta atirar os Pikmin para o objecto ou inimigo com que queremos interagir ou ordenar uma investida de grupo. Para facilitar o controlo do cursor, podem-se usar movimentos ligeiros com o comando para apontar, o que torna o jogo mais fácil de controlar, especialmente usando os Joy-Cons. Infelizmente para quem está a jogar em modo portátil ou numa Switch Lite, o ecrã táctil não é uma opção como era no jogo original. Abrindo o mapa é possível dar instruções a qualquer personagem para se dirigir automaticamente a um local que já tenhamos visitado. Isto quer dizer que podemos estar simultaneamente em três pontos distintos do mapa e optimizar a utilização do nosso tempo. Não há muitas situações que obriguem a que se usem as três personagens, mas, se queremos ser eficientes, é importante olhar para o mapa, planear o próximo passo e dividir para conquistar.

Na versão original do jogo, podíamos usar o ecrã do comando da Wii U como mapa, o que permitia olhar para o mapa sem ter de abrir um menu e dar ordens facilmente com o toque. Nem toda a gente gostou de utilizar um segundo ecrã, mas este acrescentava algo único ao jogo e tornava a gestão da equipa mais dinâmica. A versão Switch perde então este factor diferenciador, mas é o tipo de experiência que apenas era possível naquele tipo de hardware, que claramente não houve muita gente a achar apelativo.

Na Deluxe Edition podemos passar o jogo inteiro em modo cooperativo (apenas offline). Um segundo jogador adiciona uma componente de estratégia e comunicação muito divertida, o que é natural visto que o jogo está desenhado à volta do conceito de várias personagens a trabalhar ao mesmo tempo. Apesar de várias texturas não serem muito detalhadas vistas de perto e de o jogo correr a 720p (576p no modo portátil) e 30 frames por segundo – números pouco impressionantes –, Pikmin 3 continua a ser muito bonito, com cenários lindíssimos e cheios de vida. Flores gigantes abanam ao vento, gotas de chuva escorrem pelas folhas e os raios de sol que passam pela copa das árvores reflectem e refractam-se na superfície calma da água. Juntamente com uma belíssima banda-sonora que usa instrumentos e efeitos que evocam a natureza por vezes bizarra do jogo, cria-se um ambiente que por vezes é relaxante e outras energético com música dinâmica que muda ao longo do dia e durante as várias fases do combate. A única parte desagradável aos ouvidos é o som dos Pikmin a serem atirados, que se torna irritante quando atiramos muitos.

A natureza apresenta muitos obstáculos, mas nada que não se ultrapasse com a ajuda dos Pikmin certos. Os níveis são divertidos de explorar, havendo fruta escondida em todos os cantos, o que é razão mais do que suficiente para voltar umas quantas vezes a cada nível. Para ver os créditos finais cerca de dez horas devem chegar, contando com mais umas cinco para apanhar a fruta toda. No entanto, o jogo não fica por aqui. O DLC da versão original do jogo está incluído, havendo várias missões para completar e medalhas para conquistar em cenários novos, também com a ajuda dos venenosos Pikmin brancos e os pesados roxos, que não se encontram no modo de história. Estas missões apresentam um desafio bem maior, uma vez que o número e tipo de Pikmin são limitados e pré-definidos, assim como o tempo que temos. Ignorar estas missões seria ignorar algumas das partes que melhor ilustram os pontos fortes do jogo. Deluxe introduz um pequeno modo de história secundário onde controlamos os protagonistas dos Pikmin anteriores – Olimar e Louie – em versões alteradas dos níveis do modo principal. Não é um modo muito grande, mas é conteúdo bem-vindo, assim como são os novos níveis de dificuldade, onde apenas o mais alto deve trazer algum desafio a jogadores mais calejados. Esta versão também traz de volta a Plikopedia, uma enciclopédia onde podemos ver todas as formas de vida que encontramos no jogo e apontamentos de todas as personagens. Com isto tudo, Pikmin 3 Deluxe tem conteúdo para mais de 25 horas muito bem passadas.

Pikmin 3 Deluxe é uma aventura encantadora e um divertidíssimo jogo de estratégia que pede bastante coordenação. As melhorias e novidades são muito bem-vindas e, apesar de a nível técnico não ser um remaster que melhora muito, é sem dúvida a melhor versão de um jogo que já era excelente.

Nota editorial: Cópia fornecida pela editora para efeitos de análise.

Veredito

Nota Final - 8.5

8.5

Encantador e brutal, relaxante e assoberbante, Pikmin 3 Deluxe é um jogo a não perder.

User Rating: Be the first one !
Botão Voltar ao Topo