Análises

NieR Replicant ver.1.22474487139…

Weiss, you dumbass!

Versão testada: PlayStation 4 (na PlayStation 5)
Disponível para: PC, PlayStation 4, Xbox One

Lançado em 2017, NieR: Automata provou ser um jogo fantástico e surpreendente na forma como conseguiu contar uma história complexa e emocional, cheia de reviravoltas e momentos marcantes. É difícil conseguir explicar o que tornou esse jogo tão bom sem arruinar a experiência daqueles que ainda não o jogaram, mas diria que a grande carga emocional de NieR: Automata vem da forma como o jogo utiliza aspectos reais da sociadade para demonstrar o que existe de positivo mas também de negativo no mundo, o que leva a que muitos jogadores se consigam relacionar com o que se passa no ecrã. Porém, esses elementos narrativos de NieR: Automata já vêm de trás, mais especificamente do primeiro NieR e, graças ao sucesso de NieR: Automata, chega agora a hora de experienciarmos uma versão modernizada do jogo original.

NieR Replicant ver.1.22474487139… é uma versão remasterizada do jogo original lançado em 2010 e todas as melhorias feitas ajudaram a dar destaque à enorme carga emocional e força criativa que são o motor que impulsiona este jogo. Este é um título com a sua dose de falhas, o que não é surpreendente porque o original era um jogo medíocre a nível técnico, mas a remasterização ajudou imenso a realçar as suas qualidades e melhorou alguns dos aspectos menos bem conseguidos do original. Sim, NieR Replicant pode não ser uma experiência tão refinada como NieR: Automata em termos de jogabilidade, mas em tudo o resto, diria que é tão bom ou melhor.

O início de NieR Replicant é enganador, porque envolve tarefas mundanas nas primeiras horas de jogo e serve para dar ao jogador uma ideia de como funciona o combate. O início de NieR Replicant parece muito semelhante à típica formula RPG vista noutros títulos, mas quando o jogador começa a ficar confortável a esta familiar fórmula, eis que as coisas começam lentamente a acontecer e a narrativa começa a desenrolar-se de uma forma exemplar. É claro que a narrativa é contada principalmente via cutscenes, mas existem outros elementos que contribuem para a caracterização do mundo. Por exemplo, a determinada altura, o protagonista viaja a uma vila chamada The Aerie, mas em vez de este ser um local caloroso e vivo como a sua cidade natal, é um local onde os seus habitantes vivem fechados nas suas casas, num constante estado de medo e ódio. Isto, combinado com a música, faz com que exista uma constante sensação de inquietação há medida que se avançar por aquele local.

E por falar em música, não consigo salientar o suficiente o quão boa é neste jogo. A banda sonora do jogo original, que já era divinal, foi regravada para esta versão remasterizada e conta com novos arranjos. Pessoalmente, prefiro a versão original da Song of the Ancients / Fate, mas de qualquer forma, as novas versões modernizadas encaixam muito bem com os novos visuais. A banda sonora faz um excelente trabalho a reforçar a atmosfera contraditória de calmaria e inquietação, e em muitos momentos do jogo contribuiu para que o que se passa no ecrã ganhe dimensões ainda maiores, seja a tornar um momento épico ainda mais épico ou a tornar um momento triste ainda mais triste. No final de contas, a banda sonora não é apenas um complemento aos outros elementos de jogo, mas sim uma peça fundamental que destaca os aspectos positivos de NieR Replicant.

Sendo a narrativa um aspecto tão importante, é claro que não irei estragar a surpresa do que acontece, mas uma história não é nada sem personagens, e as personagens de NieR Replicant são extremamente bem desenvolvidas. Isto inclui Nier, o protagonista do jogo, na sua jornada de amadurecimento. E essa jornada é bastante distinta devido a certas coisas que vão acontecendo e que afectam aqueles que lhe são próximos. Depois, existe o Weiss, um misterioso livro mágico falante que frequentemente fala com um tom de superioridade mas que facilmente se percebe que é uma fachada e se preocupa bastante com o protagonista. Mas não há melhor personagem que Kainé. Aliás, Kainé é de longe a melhor personagem dos jogos NieR. Não só a sua história é poderosa, como a excelente interpretação de Laura Bailey traz esta personagem à vida.

É fácil olhar para Kainé e pensar que se trata de mais uma personagem feminina super sexualizada apenas porque sim, mas tal não podia estar mais longe da verdade. Kainé é uma excelente representação do que NieR Replicant encapsula tão bem, nomeadamente como é fácil julgar e demonizar alguém por ser diferente, de como experiências traumáticas moldam comportamentos, e como o medo é muitas vezes a origem do ódio. E isto fica bem vincado logo na primeira vez que o protagonista e o Weiss se cruza com Kainé. A forma como NieR Replicant trata as suas personagens permite que os jogadores se consigam relacionar com as suas lutas e acções, e é isso que torna este título num jogo tão especial.

NieR Replicant é um action RPG, o que significa lutar em tempo real contra um sem número de inimigos ao longo da história, havendo a possibilidade de utilizar tipos de armas diferentes. O jogo esteve a cargo do estúdio Toylogic, mas alguns elementos da PlatinumGames, estúdio que desenvolveu NieR: Automata, deram o seu contributo para que as secções de acção estivessem ao nível desejado e ao nível esperado pelos jogadores que jogaram NieR: Automata. No geral, o sistema de combate corpo-a-corpo de NieR Replicant é um pouco mais básico que o de NieR: Automata, mas o combate a meia e longa distância oferece mais algumas opções graças ao uso de magia. Não é um sistema de combate complexo, mas é consideravelmente mais preciso e fluido que o sistema de combate presente no jogo original de 2010, graças a uma boa animação do movimento da personagem.

O sistema de combate em si pode não ser muito profundo, mas os sistemas complementares permitem uma boa dose de personalização. É possível trocar magias sem grandes restrições e até trocar acções básicas como desvio e defesa por outras coisas. Por vezes, os inimigos dão como recompensa words (sim, é este mesmo nome), que permitem modificar as propriedades das armas e magias. E claro, a isto há que juntar as batalhas de bosses épicas, cada uma com a sua própria mecânica, e também uma jogabilidade que mistura de elementos de outros géneros de jogos completamente diferentes. Numa altura, o jogo transforma-se num side-scroller, noutras vezes num twin-stick shooters e noutras numa espécie de dungeon crawler com câmara isométrica.

NieR Replicant é uma versão actualizada do jogo original, o que significa que tem um controlo e performance muito melhor que a versão de 2010. O jogo corre a 60 FPS, os gráficos têm agora uma maior resolução e quantidade de detalhe, e os modelos das personagens foram refeitos. Tudo isto torna a experiência de jogo muito mais fluída e faz com que a simples tarefa de navegar pelas áreas seja muito mais agradável. Mas NieR Replicant vai além dos aspectos técnicos e adiciona também novo conteúdo e um novo final que expandem a visão original da melhor forma. Obter todos os finais é uma tarefa demorada, que levará à repetição de uma boa parte do mesmo conteúdo, mas a recompensa é enorme a nível narrativo.

É necessária uma considerável dose de paciência para ver tudo o que NieR Replicant tem para oferecer, o que poderá levar a alguns jogadores a perder o interesse pelo meio, mas quem fizer esse esforço para ver a história completa terá à sua frente um título clássico. Este é um jogo desafiante em termos narrativos, que faz um excelente trabalho a criar uma ligação e leva o jogador por uma montanha russa de emoções, oferecendo assim uma experiência que poucos outros jogos conseguem oferecer. NieR Replicant é, do ponto de vista da jogabilidade, uma experiência menos refinada que NieR: Automata, mas a história emocionante, as personagens cativantes, a fantástica banda sonora, e um voice acting de grande qualidade compensam largamente os aspectos menos bons. NieR Replicant é a segunda oportunidade para NieR se dar a conhecer, e é uma oportunidade totalmente merecida.

Nota editorial: Cópia fornecida pela editora para efeitos de análise.

Veredito

Nota Final - 9

9

NieR Replicant ver.1.22474487139… é um remaster de qualidade, que dá um muito necessário polimento ao jogo original para realçar a fantástica história, personagens e banda sonora.

User Rating: 3.75 ( 3 votes)

Ricardo Silvestre

É o editor da ZWAME Jogos e faz um pouco de tudo no site. Gosta em particular de jogos de corrida, jogos de luta e RPG's, mas também não diz que não a um bom jogo com loot.
Botão Voltar ao Topo