Análises

Call of Duty: Modern Warfare 3

O ano de 2007 foi decisivo para a série Call of Duty, pois não só destacou-a das restantes series do género, como transformou-a numa série extremamente popular. A prova disso são os milhões de unidades vendidas sempre que é lançado um Call of Duty e isso é ainda mais surpreendente por se tratar de uma série anual.

Mas é exactamente nesse aspecto que Modern Warfare 3 poderia marcar a diferença das anteriores entregas. Seria uma boa altura para fazer algumas mudanças e apresentar um produto um pouco diferente mas igualmente bom ao invés de limitar-se a seguir a mesma formula com já quatro anos em cima. No final, Modern Warefare 3 é aquilo que se esperava dele e tanto para o bem como para o mal, é dado aos fãs aquilo que eles querem.

A história começa após os eventos de Modern Warfare 2. Estamos num mundo onde a Terceira Guerra Mundial está à porta e em que o nosso grande inimigo Makarov se certifica de que isso acontece. Como seria de esperar, é uma história cheia de acção, com traições, terrorismo e alguns momentos marcantes. Os eventos são fáceis de seguir e as personagens enfatizam a narrativa de uma forma positiva. Iremos passar por várias cidades europeias, como Paris ou Londres e com missões bastante interessantes, como por exemplo a infiltração num submarino. A campanha é bastante diversificada e divertida.

Como aspecto negativo, a campanha é extremamente curta mesmo para os padrões dos First-Person Shooters. Acabei a campanha em exactamente 4 horas e 58 minutos no modo normal, mas dependendo do nível de dificuldade, pode chegar até às 7 horas. Para um jogo que teve em desenvolvimento dois anos, é uma desilusão. Além disso, existem demasiados scripted events. É verdade que alguns são marcantes (como um certo evento em Paris) mas por outro lado, o numero destes eventos é elevado e são demasiado intrusivos.

Mas o foco de Call of Duty é sem margem para dúvidas, o modo Multiplayer. Continua agressivo e frenético e o nível de progressão é mais um factor a contribuir para a longevidade deste modo. Praticamente tudo apresenta um nível de evolução quer sejam as armas, equipamento ou os perks.

Também foi acrescentado um novo modo de jogo, chamado Kill Confirmed. Basicamente, é um Team Deathmatch mas acrescenta um pouco mais de estratégia pois cada morte só conta para a pontuação após apanhar as dog tags dos inimigos.

Em relação aos mapas, falta algum equilibro entre espaços abertos e fechados. Os mapas presentes são demasiado labirínticos e claustrofóbicos pois têm demasiados corredores e espaços fechados.

O modo Spec Ops, é bastante divertido e viciante, podendo ser jogado a solo ou em multiplayer. Existe o Survivor, que como o nome indica, o objectivo é tentar sobreviver ao maior numero de tempo possivel e o modo Missions, onde temos de completar objectivos dentro de um tempo limite.

A nível visual, Modern Warfare 3 mantém a fluidez já habitual da série, ou seja, 60 frames por segundo. Por essa razão, todos os set pieces apresentam um certo factor “wow”. Em contrapartida, tudo o resto acaba por não ficar ao nível de outros jogos como Battlefield ou Killzone (mesmo sendo mais sci fi), pois usam mais smoke and mirrors para criar um efeito mais caótico de um campo de batalha. No fundo, é um compromisso entre fluidez e detalhe visual.

A nível sonoro, fiquei um pouco desiludido. O voice acting é bastante competente e a banda sonora encaixa muito bem nas diversas cenas, mas os efeitos especiais, deixam a desejar. O som das armas é demasiado igual e não cria o impacto que deveriam causar em cada disparo. O mesmo vale para o som das explosões. No fundo, é este tipo de efeitos especiais que os jogos usam para criar o ambiente de caos e confusão e aqui, Modern Warfare 3 falha.

Em suma, é Modern Warfare 3 um expoente a nível gráfico e sonoro? Não. É uma experiência diferente dos anteriores? Definitivamente, não. Então porque o hei de comprar, perguntam vocês? Pela mesma razão que compraram os anteriores Call of Duty. Esta série não se trata de ser um benchmark no que toca aos gráficos, som ou na apresentação de novidades. Em vez disso, foca-se numa jogabilidade intuitiva e num modo multiplayer que é viciante e divertido, principalmente quando jogado com pessoal conhecido. O grande defeito de Modern Warfare 3 é ser demasiado igual aos anteriores, proporcionando um efeito deja vu constante, mas como pacote geral, é um bom jogo e mais que recomendado a qualquer fã deste género.

Artigos Relacionados

Ver Também

Close
Close