Análises

Rainbow Moon

Rainbow Moon, é um Strategy RPG produzido pela SideQuest Studios e lançado exclusivamente na Playstation Network. Tem como objectivo, oferecer a mesma quantidade e qualidade de conteúdo que outros jogos com lançamento físico oferecem.

A história começa quando Baldren, o protagonista, se vê preso num estranho sítio chamado Rainbow Moon. Ao mesmo tempo da sua chegada, Rainbow Moon é invadido por monstros. Cabe a Baldren e aos companheiros que irá encontrar pelo caminho, vencer os monstros e encontrar o caminho de volta para casa.

Sim, a história pode não ser tão interessante, nem algo assim tão diferente do que se viu noutros jogos. No entanto, é boa o suficiente para se continuar a jogar e ver o que vai acontecer a seguir. Uma crítica a apontar, é ao facto de não haver cutscenes de dialogo (nem mesmo estáticas) entre as personagens, o que pode causar alguma falta de empatia do jogador para com as personagens.

Mas sem dúvida, a estrela do jogo é a jogabilidade. O inicio é extremamente lento, e só sensivelmente após 5 ou 6 horas de jogo, é que se começa a ver todas as opções disponíveis. Não esperem a complexidade de um Final Fantasy Tactics ou de um Disgaea, mas ainda assim, o jogo oferece bastante profundidade.

Sendo um SRPG, as batalhas são divididas por turnos, usando o normal sistema de grelhas. A partir de certa altura, vão ter acesso a sub-turnos, possibilitando várias acções por cada turno. Cada personagem tem o seu próprio estilo de jogo e habilidades e como tal, deve-se pensar bem, na equipa a levar consoante os inimigos. As habilidades, vão evoluindo de eficácia, à medida que vão sendo usadas. Para além disto, também existe a possibilidade de usar materiais para melhorar as armas.

Mas nem tudo são rosas. Embora o jogo falte a complexidade de outros títulos, compensa com o excessivo grind. Parar e fazer lutas para ganhar alguns níveis, é uma constante, pois a dificuldade aumenta consideravelmente de zona para zona. Se noutros jogos, o grind é opcional (mais devido a sidequests), aqui é uma obrigação. Para aumentar ainda mais este problema, existe um Hunger Meter. Basicamente, à medida que o tempo vai passando, teremos de alimentar as personagens. Isto obriga a uma constante ida ao inventário, e assim, a uma acentuada quebra de ritmo.

Graficamente, não tem o factor “wow”, mas o jogo é bastante colorido e detalhado, embora algumas animações das personagens, sejam um pouco rígidas. Quanto às dungeons, são razoavelmente variadas, sendo que algumas, oferecem dificuldades adicionais.

Quanto ao som, Rainbow Moon tem um feel bastante old-school, com bons efeitos especiais, mas a falta de voice acting é um ponto negativo.

Rainbow Moon oferece uma enormidade de conteúdo e longevidade. Por 15€, terão acesso a um SRPG sólido e capaz de oferecer mais de 40 horas de jogo. No entanto, um inicio lento e um excesso de grind, podem influenciar negativamente potenciais interessados no jogo.

Artigos Relacionados

Ver Também

Close
Close