Artigos

Hands-on: Mario & Luigi Dream Team Bros

O famoso Mario e o seu não tão bem sucedido irmão Luigi voltam para o seu quarto RPG em conjunto, Mario & Luigi Dream Team Bros desta vez para a 3DS. A série que começou no Game Boy Advance ficou conhecida pelas suas mecânicas diferentes dos típicos RPGs mas essencialmente pela sua escrita e personagens hilariantes e o Dream Team Bros continua nesse sentido.

O jogo divide-se em dois mundos, o primeiro joga-se com uma câmara isométrica como é costume, mas desta vez podemos entrar nos sonhos do Luigi onde a perspectiva passa a ser de lado como num jogo de plataformas à semelhança das secções no interior do Bowser no terceiro Mario & Luigi. Quando nos encontramos dentro dos sonhos o Luigi ganha poderes acessíveis ao interagir com a cara do Luigi que está no ecrã táctil. Por exemplo podemos fazer-lhe cócegas no nariz para ele espirrar o que faz com que no mundo dos sonhos alguns objectos e plataformas no plano do fundo venham para a frente. Outra habilidade presente na demo era a de controlar uns arbustos onde o Mario se pode agarrar e usar como fisga para se lançar e para isso tínhamos que puxar o bigode ao pobre canalizador de verde.

As batalhas, apesar de serem por turnos, são o oposto de entediantes e exigem bastante atenção e até reflexos rápidos porque carregar no botão certo no instante certo pode significar dar dano extra ou evitar um ataque inimigo podendo até ser possível infligir dano enquanto se esquiva. Cada inimigo tem um conjunto de ataques diferentes, saber lê-los e aprender as suas rotinas é essencial para sobreviver aos combates e acabá-los da maneira mais eficaz possível. No mundo exterior podemos usar os típicos ataques especiais como as Red Shells onde os irmãos pontapeiam alternadamente uma carapaça contra os inimigos ao mesmo que tempo que se aproximam deles fazendo com que seja cada vez mais difícil acertar no botão certo com o timing correcto. Dentro dos sonhos, o Mario luta sozinho, mas com a presença “espiritual” do irmão alterando-lhe os ataques e em vez dos ataques especiais temos as ataques “Luiginary” onde o poder da imaginação permite ataques bizarros com dezenas ou centenas de Luigis. Nesta demonstração o ataque Luiginary disponível consistia em ter o Mario a correr em cima de uma bola feita de Luigi enquanto nós inclinamos a 3DS para ir apanhando os vários Luigi espalhados pelo caminho de maneira a aumentar o tamanho da bola, o dano que ela dá e o número de inimigos que atinge.

Os gráficos são extremamente vívidos e os sprites das personagens continuam a ser fantásticos com animações muito detalhadas e engraçadas e desta vez estão muito mais próximos com a arte oficial da série. O 3D funciona especialmente bem durante as batalhas e os sonhos do Luigi com um bom uso de profundidade e diferenças entre planos.

luigi

Mario & Luigi Dream Team Bros promete excelente humor, batalhas agitadas e quebra-cabeças interessantes, agora falta saber se vai cumprir.

Artigos Relacionados

Ver Também

Close
Close