Análises

Sonic: Lost World (3DS)

Sonic: Lost World para a 3DS é o primeiro Sonic para uma portátil Nintendo a adoptar jogabilidade 3D, sendo mecânica e tematicamente muito semelhante à versão Wii U apesar dos níveis serem completamente diferentes.

Lost World começa bem, alternando entre 2D e 3D, os primeiros níveis mostram potencial, há um bom equilíbrio entre velocidade, saltos e alguns puzzles ligeiros. Os controlos são bem explicados e funcionam um pouco melhor do que na Wii U, tanto a andar devagar como a correr, não deixando no entanto de serem temperamentais e imprecisos por vezes. O lock-on é problemático, a mira nem sempre se fixa no inimigo, fixa-se no errado ou desaparece cedo demais, não sendo raro querer atacar e não conseguir ou irmos automaticamente atrás de um inimigo que está a cair de um precipício.

Sonic-Lost-World_09-01

O parkour- novidade nesta iteração- permite-nos subir paredes e outros obstáculos se formos contra eles enquanto corremos e ainda podemos dar um ligeiro impulso extra enquanto subimos para chegar mais longe. É uma mecânica que dá mais mobilidade ao Sonic, tendo alguns usos engraçados apesar de não ser nada de muito excitante. Mais problemático é o facto de nem sempre funcionar muito bem, às vezes o ouriço recusa-se a subir paredes ou sobe quando não queremos.

A esperança dada pelos níveis iniciais rapidamente nos é arrancada das mãos, a Dimps mostrou desta vez uma tremenda falta de capacidade para desenhar níveis competentes, sendo quase todos grandes demais e incrivelmente entediantes. Muitos deles são pouco mais que uma sequência de arenas onde temos que destruir inimigos ou resolver puzzles desinteressantes onde a câmera e os controlos podem ser a gota de água que faz uma pessoa perder a paciência.
Além disso, os Wisps- poderes que nos permitem voar ou absorver inimigos por exemplo- são forçados pela nossa goela abaixo, havendo níveis baseados quase exclusivamente na sua utilização, o que não seria um problema se não fossem praticamente todos péssimos e os controlos bastante maus.

Os níveis especiais onde podemos apanhar as esmeraldas têm que ser obrigatoriamente controlados pelo movimento, mas infelizmente não bastam ligeiras inclinações. Na sua sabedoria infinita, o estúdio achou boa ideia ser necessário fazer viragens enormes, tornando um jogo de portátil que deveria poder ser jogado num comboio por exemplo, em algo que só pode ser jogado de pé ou numa cadeira rotativa. A alternativa é carregar no X para trancar o Sonic, ignorando os nossos movimentos, de forma a poder fazer uma reinicialização à nossa posição. Uma solução deselegante, nada intuitiva e cansativa. A outra alternativa é não entrar nos níveis ou desistir deles.

url

Com materiais obtidos nos finais dos níveis podem-se construir pequenos veículos para nos ajudar a passar os níveis quando morremos muitas vezes, sendo também possível enviá-los para a versão Wii U onde eles podem ser controlados por um segundo jogador no mode cooperativo. O jogo também conta com um modo multijogador online e offline, onde até quatro jogadores podem correr uns contra os outros, algo que pode ser divertido em certos níveis.

Apesar de Sonic: Lost World para a 3DS fazer algumas coisas melhor que a versão Wii U, nomeadamente os tutoriais, controlos e algumas mecânicas, a enorme quantidade de péssimos níveis rapidamente tira a vontade de jogar e não são uns quantos bons mapas, juntamente com gráficos bem conseguidos e uma boa banda-sonora que salvam o jogo.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ver Também

Close
Close